Resultado da Metalúrgica Gerdau salta no trimestre

A Metalúrgica Gerdau informou nesta quarta-feira (7) que obteve no terceiro trimestre de 2018 um lucro líquido de R$ 771,7 milhões, um aumento de seis vezes em relação aos R$ 131,1 milhões registrados no mesmo período de 2017. O lucro líquido ajustado por eventos extraordinários subiu 7,5 vezes, para R$ 979,4 milhões.

A companhia atribuiu o bom desempenho ao crescimento de 35,5% da receita, para R$ 12,8 bilhões, resultando em um lucro bruto de R$ 1,8 bilhão, alta de 91%. A margem bruta cresceu em 4,2 pontos percentuais (p.p.), para 14,5%.

Os maiores preços do aço no mercado internacional fizeram com que todas as divisões apresentassem maiores receitas líquidas por tonelada. A melhora no desempenho das operações no Brasil e na América do Norte também ajudou no forte crescimento do lucro bruto, segundo a empresa.

As cotações compensaram a queda de 2,3% na produção de aço bruto e de 4,6% das vendas, provocada pelos menores volumes do Brasil. No período, a Metalúrgica Gerdau realizou uma parada programada para a manutenção do alto-forno 2, em Ouro Branco, em Minas Gerais. Também pesou no desempenho a desconsolidação das atividades no Chile a partir de julho.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) aumentou em 59% no terceiro trimestre, para R$ 1,7 bilhão. O Ebitda ajustado, que considera os efeitos dos ativos mantidos para venda e o Ebitda proporcional das empresas coligadas, aumentou em 72%, para R$ 2 bilhões, com a margem Ebitda ajustada subindo de 12,3% para 15,6%. Segundo a companhia, este foi o melhor resultado desde 2008.

A Metalúrgica Gerdau informou ainda que a despesa financeira líquida cresceu 68,6%, para R$ 449 milhões, prejudicada pela variação cambial negativa de R$ 114 milhões, que reverteu o montante positivo apurado no terceiro trimestre de 2017.

A dívida líquida cresceu 7,4%, em base anual, para R$ 15,4 bilhões. A alavancagem, medida pela relação entre a dívida líquida e o Ebitda, caiu de 3,6 vezes para 2,3 vezes no trimestre encerrado em 30 de setembro.

Os investimentos em bens de capital (Capex) somaram R$ 319 milhões no terceiro trimestre. Do valor total desembolsado, 42,9% foram destinados para as atividades no Brasil, 32,4% para a América do Norte, 19,9% para Aços Especiais e 4,8% para a América do Sul. A previsão para o acumulado do ano é que os investimentos somem R$ 1,2 bilhão, com os recursos voltados para a melhoria da produtividade e para manutenção.

 

Fonte: Valor Econômico

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + treze =

Whatsapp