Trabalhadores da Stihl votam tolerância de 10 minutos no registro ponto

Os trabalhadores e trabalhadoras da Stihl aprovaram uma tolerância de 10 minutos no registro ponto. As assembleias foram realizadas na terça-feira (23), antes do início dos três turnos, 5h35,  13h55 e às 22h10, na sede social da AFAS.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São Leopoldo e Região (STIMMMESL) convocou assembleia após uma intervenção do Ministério Público do Trabalho (MPT), que questionou a jornada de trabalho na empresa. O presidente do Sindicato, Valmir Lodi, contou que iriam tirar o cafezinho dos trabalhadores.

“Em todos os turnos, tivemos uma ampla participação dos trabalhadores e a aprovação foi unânime”, relata ele. O dirigente explicou ainda que além do cafezinho, a empresa cogitava tirar o transporte também, caso o MPT intervisse na jornada.

“Sem dúvida, foi uma vitória dos trabalhadores da Stihl, que poderiam ser bastante prejudicados. E eles estão de parabéns porque atenderam o chamado do Sindicato”, avaliou.

O acordo proposto era composto pelas seguintes cláusulas: a)  Não será computado como jornada extraordinária o registro de ponto de até 10 (dez) minutos antes do início da jornada normal de trabalho, assim como não será descontado o registro de ponto de até 5 (cinco) minutos após o início da jornada normal de trabalho.b) Da mesma forma, não será descontado o registro de ponto de até 5 (cinco) minutos antes do término da jornada normal de trabalho, assim como não será computado  como jornada extraordinária o registro de ponto de até 10 (dez) minutos após o término da jornada normal de trabalho.

 

Fonte: STIMMMESL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − três =

Whatsapp