Rio Grande do Sul fecha quase 2 mil postos de trabalho em agosto, aponta Caged

Carteiras empilhadas

O Rio Grande do Sul registrou o fechamento de 1.988 postos de trabalho em agosto deste ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (25) pela Secretaria de Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O resultado do RS foi um dos dois únicos saldos negativos no período. O outro estado foi  Sergipe, que registrou a extinção de 625 vagas. Todos os demais fecharam o mês com saldo positivo.

Mais afetados foram os trabalhadores no fumo 

A queda gaúcha foi puxada, principalmente, pelo setor da Indústria de Transformação, que abriu 19.916 vagas, mas fechou 24.439 no período, com saldo de 4.523 empregos a menos. O setor mais afetado foi o Processamento Industrial do Fumo (-2.393 vagas) e a Fabricação de Cigarros (-1.490 vagas). Segundo estudo do Dieese, “esse é um comportamento tradicional desse segmento, que contrata nos três primeiros meses do ano para desligar em meados de agosto e setembro”.

Anelise 1

Conforme o Dieese, a maior parte (63%) são mulheres, 89% desses trabalhadores recebem até 1,5 salário mínimo e entre os desligados a média salarial é de R$ 1.349.19. Além disso, 90.1% dos contratos dos trabalhadores eram por prazo determinado e, portanto, o desligamento se deu por término de contrato. Apenas 1.7% dos casos, o desligamento foi por pedido de demissão (iniciativa do trabalhador).

Setores como Construção Civil (-322 vagas) e Agropecuária (-141 vagas) também tiveram queda no número de empregos com carteira assinada, enquanto o setor de Serviços teve alta (+2.766 vagas).

RS na contramão do Brasil

Enquanto isso, pelo quinto mês consecutivo, o Brasil teve um saldo positivo na geração de emprego formal no mês passado. Foi o melhor resultado para o mês de agosto desde 2013, segundo o Caged.

Em agosto, o número de vagas adicionais no mercado de trabalho foi 121.387, que é o saldo positivo decorrente 1.382.407 admissões e de 1.261.020 desligamentos.

O resultado de agosto representa uma variação de 0,31% em relação ao mês anterior. No acumulado de 2019 foram criados 593.467 novos postos, com variação de 1,55% do estoque do ano anterior. No mesmo período de 2018, houve crescimento de 568.551 empregos.

Entre os principais setores da economia, quatro tiveram saldo positivo de emprego e em dois houve mais fechamento de vagas no mês encerrado em agosto. Lidera o número de empregos gerados a área de serviços (61.730 postos), seguida por comércio (23.626), indústria de transformação (19.517), construção civil (17.306), administração pública (1.391) e extrativa mineral (1.235).

Apresentaram saldo negativo a agropecuária (-3.341 postos) e os serviços industriais de utilidade pública/SIUP (-77 postos).

Fonte: CUT-RS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + seis =

Whatsapp