Em bandeira preta, São Leopoldo decide não fazer lockdown

Após reunião ao longo da tarde desta segunda-feira com o Comitê Municipal de Atenção ao Coronavírus, o prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, recuou da possibilidade de estabelecer um lockdown, ou seja, fechamento da cidade, pelo período de sete dias. A possibilidade foi aventada no fim de semana, após a cidade ser classificada com a bandeira preta, de altíssimo risco para a transmissão do coronavírus, no distanciamento controlado do Estado.

No entanto, ainda que o governador Eduardo Leite tenha mantido a cogestão, que permitiria a cidade ter protocolos de bandeira vermelha, Vanazzi preferiu acatar a classificação inicial e adotar medidas mais rígidas. Uma nova reunião será feita nesta terça-feira, e há a possibilidade de um toque de recolher ser instaurado a partir das 20h

“Estamos dando um tempo para a cidade ir se preparando”, disse o prefeito. Segundo Vanazzi, o quadro se agravou na região nos últimos dias e o começo da vacinação deu a impressão de que as coisas estavam normais. Segundo o secretário da Saúde, Marcel Frison, a pesquisa sobre a carga viral no esgoto da cidade mostrou a ampliação da circulação do vírus e indica uma possibilidade maior de pessoas assintomáticas. “Isso está se refletindo no sistema agora”, explicou.

Na tarde da segunda-feira (22), a direção do Hospital Centenário comunicou que a UTI Covid está operando com capacidade máxima. Os 18 leitos da unidade estão ocupados por pacientes do município e cidades vizinhas. Com o quadro, foi emitido um alerta para um colapso nos atendimentos diante do aumento de casos nos últimos dias, com o reforço na importância do distanciamento e do cumprimento das orientações sanitárias.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + dezesseis =

Whatsapp