São Leopoldo define aplicará regras da bandeira preta até 19 de março

Com Leitos do Hospital Centenário beirando a lotação,
medidas duras serão adotadas, como a restrição do transporte público na cidade. 

São Leopoldo irá adotar as regras de distanciamento social e ocupação vigentes da bandeira preta, do Sistema de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul. Esta foi a decisão do Comitê de Atenção ao Coronavírus, grupo que reúne representantes da sociedade e do governo municipal, em reunião realizada na tarde da última terça-feira (09). As medidas valem por dez dias, até o dia 19 de março, quando o Comitê deve fazer uma nova avaliação. O decreto municipal já está em  vigência.

Outra medida tomada pelo comitê é que no domingo (14), o transporte público será novamente restrito, atuando apenas as linhas e horários que atendem as trocas de turno dos trabalhadores da saúde. O estacionamento rotativo continua suspenso de forma temporária em São Leopoldo.

Para o prefeito Ary Vanazzi, que participou da reunião, o momento é de muita gravidade e exige cuidado e atenção. “Temos um comitê que dialoga e encaminha as decisões de forma coletiva, estamos no pior momento da pandemia com nossa Upa lotada, nosso Hospital Centenário lotado e temos responsabilidade coletiva. As medidas de maior restrição e de evitar que as pessoas saiam as ruas sem necessidade produzem resultados positivos e os próximos dias podem mostrar isso, é preciso muito cuidado e atenção com esse grave momento”.

O comitê também manifestou a necessidade de um aporte maior de recursos do Governo Federal e Estadual ao Hospital Centenário, devido à suspensão de repasses de recursos de enfrentamento da covid-19 e desabilitação de leitos de UTI. Outra preocupação que também esteve presente no debate é uma cobrança mais direta ao Governo do Estado por uma distribuição mais justa das doses de vacinas, considerando que municípios da região do mesmo porte de São Leopoldo receberam quantidades maiores.

Para o secretário Marcel Frison, é preciso maior atenção do Estado. “Não é justo, temos atendimento maior, Upa maior, mais leitos de UTI e recebemos menos que outras cidades menores da região, sendo que o nosso Hospital atende de forma regional, isso sem contar as doses que são distribuídas sem um critério claro e objetivo”, afirmou Frison.

A situação da pandemia em São Leopoldo e na região segue preocupante. A UPA Zona Norte opera além da capacidade, com 41 pacientes internados. Hospital Centenário está com 57 pacientes internados, sendo 20 em leitos de UTI, também acima da capacidade total.

Fonte: Secom/PMSL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − dois =

Whatsapp