Em assembleia, Sindicato aprova pauta da campanha salarial 2021 para negociação com a patronal

Delegados para plenárias da CNM e CUT também foram apontados.
Data-base da categoria está fixada em 1° de Julho 

Por unanimidade, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Leopoldo e Região (STIMMME-SL) aprovou a pauta de negociação da campanha salarial de 2021, durante assembleia realizada na noite desta quinta-feira (24), na sede da entidade. Na ocasião, também foram escolhidos os nomes que representarão o sindicato nas plenárias da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT), que acontece em setembro, e nas plenárias estadual e nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Por ampla maioria, a entidade foi autorizada a iniciar o processo de discussão do reajuste dos trabalhadores metalúrgicos de São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Estância Velha, Dois Irmãos, Esteio e Campo Bom.

Segundo o presidente da entidade, Valmir Lodi, as indústrias da região do vale dos sinos registraram lucro muito superior ao habitual em 2020, sobretudo pelo crescimento das exportações em detrimento do consumo interno da população.

“ O setor siderúrgico cresceu 38% durante a pandemia e temos uma previsão de crescimento do PIB de 4,5% na região. Empresas que adotaram a redução de jornada com redução de salários agora estão contratando novamente e nós queremos a nossa fatia do bolo. Não podemos aceitar que os patrões lucrem em cima do lombo da nossa categoria”, pontuou o presidente no início da Assembleia.

Além de vacina no braço e comida no prato, as palavras de ordem para a campanha salarial deste ano passam pela manutenção de direitos trabalhistas, como explica Lodi.

“Não entraremos para uma negociação aceitando a retirada de direitos, por isso defendemos a manutenção das nossas cláusulas sociais, do auxílio estudante, quinquênio e demais conquistas obtidas através de muita luta ao longo dos anos. Queremos a reposição da inflação e  aumento real, já o valor deste reajuste ainda terá de ser discutido com a patronal, pois estamos esperando a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado do último período, que ainda não foi revelado”, explica o presidente ao se referir ao principal indicador utilizado para a correção de salários em todo o país.

 

Vacina no braço de todos e todas

Em recente negociação com a prefeitura municipal de São Leopoldo, conseguiu que o poder público, em parceria com as indústrias do município, imunize todos os trabalhadores metalúrgicos da cidade, independentemente de residirem no município ou não. Apesar da vitória, fruto do diálogo do sindicato com a gestão do prefeito Ary Vananzzi (PT), Lodi lembra que não basta ter vacina no braço e comida no prato.

“Além da vacina, queremos a reposição das perdas salariais. Vamos seguir fazendo nosso dever de passar de porta em porta de fábrica para fazer o debate com a categoria, porque o nosso lugar é junto da categoria, fazendo o enfrentamento nos locais de trabalho” concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 6 =

Whatsapp