Trabalhadores da área da Aciaria da Gerdau aprovam lay-off 

Os trabalhadores da área da Aciaria da Gerdau, planta de Sapucaia do Sul, aprovaram o lay-off com a duração de um ano, a partir do dia 1º de fevereiro, em assembleia realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de São Leopoldo e Região (STIMMMESL), na noite de sexta-feira (21). A atividade aconteceu na sub-sede de Sapucaia do Sul e reuniu dezenas de metalúrgicos.

O setor tem 170 trabalhadores e a medida afetará 140 pessoas diretamente, pois os técnicos da manutenção não irão parar e cerca de 13 trabalhadores serão transferidos para a planta da empresa em Araucária, no Paraná. O regime Lay Off consiste na redução temporária dos períodos normais de trabalho ou a suspensão dos contratos de trabalho efetuada por iniciativa da empresa, durante um determinado tempo, na forma prevista no artigo 476-A da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

 

De acordo com o presidente do Sindicato, Valmir Lodi explicou que a medida se deve por causa da manutenção da Aciaria. “A empresa nos procurou na quarta-feira e fizemos o possível para garantir os empregos”, disse. Ele explicou que, dos 140 afetados, sairão 50% por cinco meses e após, a outra metade pelo mesmo período.

Foi explicado que durante o lay-off, os trabalhadores ganharão o seguro-desemprego e a Gerdau complementará o restante do valor para atingir o salário-base. Valmir relatou que em 2008, a empresa realizou um lay-off. “Naquela vez falaram que não haveriam demissões e de fato, não houveram”, destacou ele.

O diretor do STIMMMESL e trabalhador da Gerdau, Alexandro Braga lembrou que haverá adicionais para os trabalhadores que serão transferidos para o Paraná. “Os que forem para outros setores, não irão para níveis superiores, será mantida uma equivalência”, explicou.

Para ele, a maior preocupação de todos é a garantia dos empregos. “Estamos fazendo um acordo viável e na minha opinião, melhor que o de 2008”, acredita Alexandro.

 

Já o secretário-geral do Sindicato e também metalúrgico da empresa, Valdemir Pereira falou sobre a pressão em relação à garantia de saúde e segurança aos trabalhadores da Aciaria, que a empresa vem sofrendo. De acordo com ele, com essa parada a empresa irá melhorar o pavilhão do setor.

“Lay-off é bom? Não é. Mas a medida é necessária para melhorar a estrutura do setor e estamos garantindo os empregos. Além disso sempre enfatizamos com a empresa que nenhum trabalhador pode ser obrigado a ir para o Paraná. Só vai, quem quer”, enfatizou.

O advogado Fábio Both, da assessoria jurídica da entidade, acompanhou a assembleia.

Fonte: STIMMMESL
Fotos: Israel Bento Gonçalves e Renata Machado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + catorze =

Whatsapp