“Está nas nossas mãos continuar lutando pelos nossos direitos”, afirma o diretor do STIMMMESL, Edson da Silva

Iniciando seu primeiro mandato como dirigente sindical do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de São Leopoldo e Região (STIMMMESL), Edson da Silva trabalha há quatro anos na Metalúrgica Index. “Fiquei admirado pelo trabalho que é feito e pela dedicação dos dirigentes aos trabalhadores”, diz ele ao relatar como se interessou pelo movimento sindical.

Casado, pai de três filhos, colorado, Edson conta que se divide entre São Leopoldo e Porto Alegre e que gosta de um pagode com os amigos nos finais de semana. De acordo com ele, a expectativa é de muita luta, dedicação e aprendizado para este primeiro mandato e que “está nas nossas mãos continuar lutando pelos nossos direitos”.

 

Confira a íntegra da entrevista:

 

Conte um pouco da sua história. Como se interessou pelo movimento sindical?

Primeira empresa que trabalhei foi na Rototech aqui em São Leopoldo, depois na Trivium em Cachoeirinha e há quatro anos estou na Index e o meu interesse pelo sindicato veio atraves das lutas feitas pelos meus atuais companheiros na empresa onde trabalho, fiquei admirado pelo trabalho que é feito e pela dedicação dos dirigentes aos trabalhadores.

 

 

 

Você está iniciando seu primeiro mandato, qual a expectativa?

A expectativa é de muita luta, dedicação e aprendizado neste meu primeiro mandato.

 

O que você diria para um trabalhador entrar para o movimento sindical?

Eu falaria que a vitória só ocorre com a participação de todos e que juntos somos mais fortes.

 

Você acha que falta consciência de classe para os trabalhadores?

Acho que falta, sim. E para reverter essa situação precisamos de mais união dos trabalhadores.

 

Na tua opinião, qual a importância dos sindicatos na vida dos trabalhadores?

A importância dos sindicatos é muito grande na vida dos trabalhadores, pois o Sindicato propõe o fortalecimento da nossa luta e a defesa dos nossos direitos.

 

Qual a tua avaliação dos ataques que a classe trabalhadora tem sofrido desde o golpe de 2016. Como as reformas trabalhistas e da previdência?

Na minha opinião essa é a hora de reverter essa situação que fomos colocados, está nas nossas mãos continuar lutando pelos nossos direitos.

 

O movimento sindical, como um todo, está muito desacreditado. Como reverter isso?

Com muita luta e dedicação dia após dia conseguiremos reverter a situação.

 

Na tua opinião, qual o principal desafio do movimento sindical no próximo período?

Temos um grande desafio que é ajudar a compor e fortalecer uma ampla frente democrática para deter as ameaças fascistas que pairam sobre o nosso país.

 

E da indústria? Como gerar empregos?

Acredito que com fortalecimento de formação profissional seria uma grande soluçao.

 

 

Como atrair mais sócios para o sindicato?

Com luta e união. Acredito que com o Sindicato unido teremos grandes vitórias.

 

Gostaria de acrescentar alguma coisa?

Gostaria de falar que sem os sindicatos os trabalhadores serão cada vez mais explorados e injustiçados. Então peço aos trabalhadores que se associem e fortalecem a nossa luta.

 

 

Fonte: STIMMMESL

Foto: Israel Bento Gonçalves (STIMMMESL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 14 =

Whatsapp