“Democracia é o único sistema que permite a luta por direitos”, diz presidente da CUT-RS

Em artigo divulgado nesta quinta-feira (6), sob o título “A democracia vencerá”, o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, afirma que “os trabalhadores sabem que a democracia é o único sistema que permite a luta por direitos e, por isso, empenham-se para aperfeiçoá-la”. Para ele, “só a democracia é capaz de tirar a liberdade do cativeiro“.

O dirigente sindical ressalta quesem a democracia, “as vozes discordantes são amordaçadas. Quando sufocada, direitos são suprimidos, a violência dos que detém o poder cresce e o medo se alastra. A democracia é o sistema que abre as portas para o exercício da política“.

Amarildo resgata a luta da classe trabalhadora pela inclusão dos excluídos no sistema eleitoral ao longo da história. “A nossa democracia foi sendo construída, enfrentando a tentativa de expurgar as mulheres, os negros, os indígenas e os pobres de modo geral”.

O texto foi publicado pelo jornal Zero Hora e no portal Sul21.

Leia a íntegra do artigo!

A democracia vencerá

Só a democracia é capaz de tirar a liberdade do cativeiro. Sem ela, as vozes discordantes são amordaçadas. Quando sufocada, direitos são suprimidos, a violência dos que detém o poder cresce e o medo se alastra. A democracia é o sistema que abre as portas para o exercício da política. Quem se opõe à política, certamente não gostaria de viver em um país, onde os assuntos comuns são impostos pela força.

No período colonial, quem possuía muitas posses escolhia os seus representantes. Logo após a Independência, a legislação eleitoral permitiu que os homens acima de 25 anos e que comprovassem renda anual de 100 contos de reis podiam votar.

Mulheres, escravizados e indígenas foram excluídos. O pleito era controlado pelos coronéis e os eleitores votavam com o bafejar dos jagunços (milicianos), o famoso voto a cabresto. Os escrutinadores ressuscitavam defuntos, inventavam nomes e falsificavam atas.

No período republicano esses vícios perduraram. Quando o eleito não era do agrado dos fazendeiros locais, passava-se a degola. No governo de Getúlio Vargas, as mulheres conquistaram o direito de votar e o pleito passou a ser secreto, porém a democracia foi golpeada pelo Estado Novo e depois pela ditadura militar de 1964. Analfabetos só conquistaram o direito de votar em 1985.

A nossa democracia foi sendo construída, enfrentando a tentativa de expurgar as mulheres, os negros, os indígenas e os pobres de modo geral. Os trabalhadores sabem que a democracia é o único sistema que permite a luta por direitos e, por isso, empenham-se para aperfeiçoá-la.

Depois de um inverno tenebroso, com elevada dose de autoritarismo, celebraremos mais uma vez a primavera democrática em nosso país. Apesar das ameaças golpistas e das tentativas de desinformar os mais pobres e desacreditar os resultados das eleições, conclamamos o povo brasileiro e riograndense a exercer um direito que foi duramente conquistado.

Somente com a democracia plena os trabalhadores podem melhorar as condições de vida e ser livres.

 

Fonte: CUT-RS

Foto: CUT-RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =

Whatsapp