Alckmin defende a criação de empregos com carteira assinada, em posse ministerial

Numa concorrida posse com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o vice-presidente e agora novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), Geraldo Alckmin (PSB-SP), defendeu em discurso a reindustrialização do país, com foco em investimentos ao meio ambiente para uma indústria verde; tecnologia e valor agregado a produtos exportados. O novo MDIC, segundo ele, será orientado à economia criativa, social, inclusiva e sustentável. A inclusão se dará em três sentidos; social, econômico e político.

De acordo com Alckmin, o objetivo do MDCI também passa pela geração de bons empregos com carteira de trabalho assinada.

Ele também se comprometeu a trabalhar incansavelmente pelo emprego pela distribuição de renda em apoio à indústria ao comércio e ao setor de serviços.

Reindustrialização do Brasil

Alckmin destacou que a reindustrialização do país é necessária, mas que também passa pela preservação do meio ambiente, que poderá fazer o Brasil se tornar protagonista no processo de descarbonização da economia global. Para isso o MDCI terá uma secretaria de economia verde que atuará em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, comandado por Marina Silva (Rede-SP), presente à cerimônia junto com a maioria dos ministros já empossados.

“Trabalharemos em parceria com a ministra do meio ambiente Marina Silva, numa agenda prioritária para assegurar a competitividade do produto brasileiro no comércio mundial. A política industrial brasileira precisa estar em sintonia com as necessidades da sociedade mundial e a sustentabilidade é ponto de partida de toda a política industrial”, afirmou no discurso.

Comércio Exterior

Além de defender uma indústria verde, ele ressaltou a necessidade de uma reforma tributária, apoio às exportações e anunciou o MDIC terá na sua estrutura a Câmara de Comércio Exterior (Camex), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que estará sob o comando de Aloisio Mercadante, ex- deputado federal e senador e ex- ministro nos dois primeiros governos de Lula e também na gestão Dilma Rousseff.

“As mudanças no cenário internacional geram oportunidades para o Brasil; a mudança na geopolítica nas cadeias de valor podem representar uma oportunidade para o Brasil atrair investimentos produtivos e aumentar as exportações industriais, porém, para isso o país precisa desenvolver estratégias adequadas focadas nas condições que possibilitem o desenvolvimento produtivo e tecnológico bem como a inovação no país”, disse Alckmin.

Política de desenvolvimento industrial moderna

O ministro ressaltou o pedido do presidente Lula para que elabore com urgência uma política moderna de desenvolvimento industrial, que essa política parte de um diagnóstico correto, bem desenhada e concebida e que seja implementada corretamente.

“A política industrial tem seu processo de maturação e como sabemos a imprevisibilidade e a descontinuidade de instrumentos de apoio contribuem historicamente para o sucesso de políticas em diferentes áreas”, afirmou.

Críticas à gestão de Bolsonaro

Sem citar o nome de Jair Bolsonaro, o ministro do MDCI criticou a gestão anterior.

“Depois de quatro anos de descaso, de má gestão e de desalinho com os reais problemas brasileiros, o presidente Lula determinou a recriação do MDIC como uma medida fundamental para o Brasil retomar o caminho do desenvolvimento”, disse.

Estabilidade política e econômica

Para Alckmin, a instabilidade política tem custo e é socialmente injusta porque penaliza o mais pobre, ao inviabilizar a atuação econômica e produtiva.

“É na normalidade democrática que o país pode crescer e se mostrar justo para com o seu povo. A nossa união presidente Lula não é episódio de ocasião ou por uma eleição, a nossa união é para um país, por um povo, por seu direito de viver em um regime democrático num país verdadeiramente produtivo. O meu compromisso com o senhor, com nosso país é para que venham dias de crescimento e justiça social”, afirmou.

O presidente Lula compareceu à posse ao lado da primeira dama Janja da Silva, mas não discursou.

 

Fonte: CUT Nacional

Foto: YOUTUBE/ REPRODUÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

Whatsapp