Terceirizados da REFAP rejeitam proposta da mediação e retomam greve

Por unanimidade, os terceirizados da REFAP, em Canoas, rejeitaram na manhã desta sexta-feira (03) a proposta alcançada na mediação realizada ontem (02) no TRT4 de Porto Alegre. A assembleia Geral contou com a participação massiva de trabalhadores e trabalhadoras das empresas Estrutural, Estel, Engevale, Manserv e Darcy Pacheco, que desde a segunda-feira (30) estão paralisados reivindicando melhorias nos benefícios e salários ofertados para o trabalho na Parada de Manutenção.

Apesar do avanço na abrangência de alguns benefícios, a conquista parcial das reivindicações, e em alguns pontos abaixo do que foi proposto, motivou a rejeição de um acordo. Na quarta-feira, 1º de fevereiro, a assembleia geral deliberou pela suspensão da greve, condição proposta na primeira mesa de mediação do Tribunal para que fossem abertas as negociações.

Durante o dia de ontem (02), os sindicatos de representação dos trabalhadores, as assessorias jurídicas, bem como a comissão instituída pelos terceirizados e os representantes das empresas, estiveram reunidos durante quase cinco horas no TRT4 para construir uma proposta. A tratativa foi mediada pelo desembargador Ricardo Martins Costa, vice-presidente do Tribunal, e pela procuradora do Ministério Público do Trabalho (MPT-RS), Silvana Martins.

Com a negativa para a última proposta na assembleia de hoje cedo, os trabalhadores retomaram a greve e permanecem de braços cruzados em frente à empresa.

 

Fonte: Rita Garrido (STIMMMEC)
Foto: Rafaela Amaral (STIMMMEC)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − seis =