Comitê Mundial de trabalhadores na Gerdau define estratégias de atuação nas plantas

Encontro reuniu trabalhadores na Gerdau de 10 países. Dirigente do STIMMMESL foi um dos participantes

 

 

O Comitê Mundial na Gerdau esteve reunido entre os dias 16 e 18 de maio para definir estratégias de atuação nas plantas da multinacional em diversos países. No encontro, que aconteceu em Belo Horizonte (MG), também foi discutida a atual conjuntura do ramo siderúrgico. 

 

O encontro é promovido pela IndustriALL Global Union, entidade sindical internacional que representa 50 milhões de trabalhadores na indústria.  Participam da atividade metalúrgicos de várias partes do mundo, representando a Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, EUA, México, República Dominicana e Uruguai.

 

Para Loricardo Oliveira, secretário geral em exercício da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) e coordenador do Comitê Mundial de Trabalhadores na Gerdau, o debate da indústria 4.0 [expressão que está sendo utilizada para denominar o que está sendo chamada de nova revolução industrial, que – entre outras coisas – aprofundará a automação no ramo] deve ser aprofundado nos próximos encontros.

 

 

“Visitamos a planta da Gerdau em Ouro Branco, conhecendo um setor que tinha poucos trabalhadores e muitos robôs. É uma realidade que já estamos presenciando nas empresas brasileiras e por isso precisamos discutir como será este modelo de trabalho no futuro”, contou.

 

Ainda de acordo com ele, o plano de ação deste encontro prioriza as questões como segurança e saúde no trabalhado e a participação de jovens e mulheres no local de trabalho. “Precisamos ampliar a representação da juventude e de gênero nas empresas porque são importantes na organização do local de trabalho. Além disso, vamos fomentar a política de segurança do trabalhador. De acordo com os membros da Rede Sindical de Trabalhadores na Gerdau, de 2015 até o fim de 2016, cerca de 100 trabalhadores se acidentaram durante o trabalho e cinco desses acidentes foram fatais”, assinalou.

 

De acordo com o secretário de Organização da CNM/CUT, Ubirajara de Freitas, o encontro integra o projeto estratégico da CNM/CUT para as redes sindicais. "Assim como as empresas, os trabalhadores também estão transpondo barreiras e estão globalizando suas lutas e ações sindicais", afirmou.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da CNM/CUT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − sete =

Whatsapp