Adiar reforma será derrota para Temer

O Palácio do Planalto só pretende colocar em votação a reforma da Previdência se tiver segurança de que terá os 308 votos necessários a sua aprovação na Câmara. A situação é melhor que há um mês, quando o presidente Michel Temer praticamente jogou a toalha, mas não o bastante para deixá-lo mais à vontade. Daí os sinais cada vez mais claros de que já se pensa em adiar a votação para fevereiro, o que deixará Temer e o PMDB mais frágeis para o jogo eleitoral de 2018.

 

Quando o presidente escapou da segunda denúncia da PGR, o Planalto decidiu sair da defensiva política com a reforma da Previdência. Não tardou a se dar conta de que o ambiente na Câmara havia se deteriorado ainda mais. Concluiu então que sua única chance seria pressionar o Congresso de "fora pra dentro", com ajuda da sociedade e da mídia. Os resultados, no entanto, ainda não vieram.

 

Fonte: Valor Econômico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 19 =