Com 3.266 novos casos, RS ultrapassa 551 mil pessoas infectadas com Covid-19

Foram registrados 63 óbitos, elevando para 10.778 vítimas fatais por conta do coronavírus no estado

Nas últimas 24 horas, o RS registrou 63 óbitos em decorrência da covid-19, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta terça-feira (2). Com isso, já são 10.778 vidas perdidas no território gaúcho desde o início da pandemia. O estado também registra 551.317 infectados pela doença, com a confirmação de 3.693 novos casos pela SES. Dos confirmados, 528.844 (96%) são considerados recuperados.

Porto Alegre foi a cidade com o maior número de vítimas fatais, sendo 20 óbitos, seguida por Novo Hamburgo e Santa Maria, com 4 óbitos cada. Uruguaiana e Montenegro, 3 óbitos; Caxias do Sul e Santo Ângelo, registraram 2 óbitos cada. Nenhuma outra cidade teve registro de mais de uma vítima fatal. Dos 497 municípios gaúchos, apenas 68 não têm registro de vítimas fatais.

Às 18h desta terça, a ocupação de leitos em UTI em todo o estado estava em 75%, sendo 2.003 pacientes em 2.670 leitos de UTI. Entre os internados, 825 (41,2%) têm covid-19 confirmada e 129 têm suspeita da doença.

Em Porto Alegre a taxa de ocupação é de 82,80%. Os hospitais Moinhos de Vento têm 278 pacientes com covid-19 confirmada, 24 têm suspeita da doença e 6 estão na emergência aguardando UTI.

Vacinação

O RS recebeu, até o momento, 511.200 doses de vacina contra o coronavírus, sendo 395.200 vacinas CoronaVac, produzida pelo laboratório Sinovac em parceira com o Instituto Butantan, e 116 mil vacinas de Oxford/AstraZeneca, em parceria com a Fiocruz. Já foram distribuídas 286.320 da 1ª dose da Coronavac.

Até as 18h de hoje (2), 183.189 mil doses haviam sido aplicadas no estado, sendo 143.480 em profissionais de saúde, 31.077 em idosos residentes em instituições de longa permanência, 5.964 em indígenas e 1.151 em pessoas maiores de 18 anos com deficiência, moradoras de residências inclusivas. Aqui a relação completa da vacinação no estado.

Em Porto Alegre foram recebidas até o momento 83,6 mil doses destinadas para 100.559 pessoas do grupo prioritário. Até o momento foram vacinados 45.764 pessoas, 45,51% do público alvo. Já foram vacinados 31.324 profissionais de saúde, 13.350 idosos e pessoas com deficiência institucionalizados, mais idosos acamados e 1.038 da população Indígena e Quilombola.

No Brasil já foram vacinados 2.414.717 pessoas de acordo com a plataforma CoronavirusBot.

Para coibir que pessoas fora dos grupos prioritários da campanha de vacinação contra a covid-19 sejam vacinados indevidamente, a Secretaria da Saúde e o Ministério Público do Estado lançaram um formulário para denúncias de possíveis “fura-filas” da vacina.

País volta a registrar mais de mil vítimas fatais

O Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) registrou, em boletim publicado hoje (2), 1.210 óbitos e 54.096 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 226.309 mortes e 9.283.418 contaminados pelo novo coronavírus.

A média móvel de mortes por causa da covid-19 no Brasil chegou a 1.062 nesta segunda-feira (1). O número é resultado da soma de todos os óbitos dos últimos sete dias, dividida por sete.

Com o dado mais recente, o país completa 12 dias em patamares superiores a mil. Cenário pior que esse só havia sido observado em julho, quando os registros se mantiveram acima dessa marca por mais de três semanas.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 – Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email disquevigilancia@saude.rs.gov.br.

Fonte: Brasil de Fato RS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − doze =

Whatsapp