Sistema Único de Saúde financia 95% dos transplantes no Brasil

Sua família é a sua voz”, o Ministério da Saúde lançou uma campanha publicitária destinada, especialmente, aos familiares de pessoas que manifestaram em vida a vontade de ser um doador de órgãos, com o objetivo de ampliar ainda mais a realização de cirurgias que salvam vidas e diminuir a permanência do paciente na lista de espera.

Atualmente, 56% das famílias entrevistadas em situações de morte encefálica aceitam e autorizam a retirada de órgãos para a doação. Para o Ministério, esse percentual pode ser ainda maior, permitindo a realização de mais transplantes.
 
Um levantamento feito pelo Ministério da Saúde demonstra que o Brasil reduziu a quantidade de pessoas que aguardam por um transplante de órgão nos últimos cinco anos.

De 2008 a 2014, o país registrou uma redução de 41,7% das pessoas que estão na fila de espera, o que está associado ao aumento de doadores efetivos, que subiu de 1.350, em 2008, para 2.562, em 2013, representando crescimento de 89,7%.

O Brasil também se destacou mundialmente em número e em qualidade de registro de doadores voluntários de medula óssea, passando de 30 mil doadores para 3,2 milhões de doadores nos últimos dez anos.

O Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), que integra a rede SUS no Ceará, alcançou a marca de 300 transplantes cardíacos. Com isso, o HM tornou-se o terceiro centro transplantador do país a atingir esse número, depois do Instituto do Coração (Incor) e do Instituto Dante Pazzanese, os dois de São Paulo.

Fonte: Blog da Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =