Claudir Nespolo é eleito presidente da CUT-RS

Concorreram três chapas, A CUT Pode Mais, encabeçada por Alberto Ledur conquistou 191 votos e a Chapa 3 – CSD, liderada por Everton Gimenis, 64.

Depois de dois mandatos na presidência da CUT-RS, Celso Woyciechowski, se despediu agradecendo aos integrantes da direção da entidade. “Construímos coletivamente as ações da nossa Central e encerro meu mandato com a consciência do dever cumprido, pois a nossa entidade ampliou as conquistas da classe trabalhadora”, disse.

 

 

Saudando o presidente eleito, Woyciechowski desejou mais lutas, mais coragem, mais coração e mais consciência para fortalecer as trincheiras da CUT. “Aqui não tem vencedores e perdedores, tem Central Única dos Trabalhadores”, finalizou.

O novo presidente da Central, Nespolo, agradeceu aos participantes do CECUT/RS, lembrou a importância das resoluções aprovadas no Congresso, pois são norteadoras nas posições defendidas pela entidade.

“Precisamos afirmar nesse mandato que a CUT tem a melhor proposta para a sociedade. Temos a perspectiva de muita responsabilidade, pois sabemos que essa disputa não é fácil e espero, também, que tenhamos muita humildade no próximo período para buscar a melhor maneira de enfrentar os nossos inimigos. Para terminar, tenho a certeza de que a luta continua e juntos somos mais fortes”, declarou Nespolo.

Saudando os participantes do evento, Ledur afirmou que esses processos são fundamentais para fortalecer a democracia na Central. “Temos o compromisso em avançar nas conquistas da CUT, a nova direção pode contar com o nosso diálogo e o nosso apoio”, afirmou.

Gimenis também salientou a importância dos debates realizados durante o CECUT/RS: “Isso é democracia e com certeza voltaremos mais unidos para a nova gestão. Agora é colocar o povo nas ruas e fazer a luta.”
No total, 645 delegados participaram do 13º CECUT-RS, sendo 44% mulheres e 56%, homens.

Claudir Nespolo

Militante dos movimentos de juventude desde 1977 na Juventude Operária Católica, Claudir mora em Porto Alegre, onde atua na categoria dos metalúrgicos desde 1988. Cumpriu três mandatos na presidência do Sindicato dos Metalúrgicos de Porto Alegre.

Foi diretor da Federação dos Metalúrgicos do RS na função de diretor executivo. Em 2009 foi eleito para a direção da CUT/RS na função de secretário de Organização e Política Sindical.

Na CNM/CUT foi membro da direção executiva nos mandatos 2004-2007 e 2007-2010. Em 2008 assumiu a vice-presidência em substituição a Marino Vani. Em maio de 2010 assumiu a presidência no lugar de Carlos Grana, que se licenciou do cargo. Em novembro de 2010 voltou a assumir a vice-presidência, após o retorno de Grana.

Texto: Renata Machado
Fotos: Daiani Cerezer

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − dez =