Encontro do segmento siderúrgico reúne dirigentes de todo país

Cumprindo mais uma etapa de seu plano de organização sindical setorial, a Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) realizou entre terça-feira e hoje (2 e 3) o Encontro Nacional de Trabalhadores do Setor Siderúrgico. O evento reuniu dirigentes de todo país para debater a atual conjuntura da indústria brasileira, além de propor planos de ação para segmento siderúrgico.

O evento aconteceu na Escola Sindical 7 de outubro, em Belo Horizonte (MG). Participaram da atividade sindicalistas dos Sindicatos dos Metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem (MG), Timóteo (MG), João Monlevade (MG), Ipatinga (MG), Vespaziano (MG) e Santa Luiza (MG), Pernambuco, Espírito Santo, Pindamonhangaba (SP), Taubaté (SP), Sorocaba (SP) e São Leopoldo (RS).

O encontro também contou com a presença do vice-presidente da CNM/CUT, Wilton Gonçalves, do secretário geral da Confederação, João Cayres, do secretário de Política Sindical da Confederação, Loricardo Oliveira, do secretário de Organização da CNM/CUT, Ubirajara Freitas, e dos diretores Henrique Gomes do Nascimento e José Quirino dos Santos. Segundo João Cayres, a proposta é elaborar uma política industrial específica para o segmento siderúrgico.

"Queremos retomar e reelaborar o Plano Brasil Maior, política industrial do governo de Dilma Rousseff, que foi sucesso no setor automotivo. Mas agora queremos que este plano também seja voltado à indústria de siderurgia. Inclusive, uma das propostas é que o debate do segmento seja tripartite (trabalhadores, governo e empresários)”, contou o secretário.

Em sua fala Loricardo de Oliveira, destacou que o encontro foi importante para estabelecer novas propostas para a siderurgia diante da atual conjuntura no país. “O encontro foi estratégico porque também precisamos pensar na indústria, mas com o olhar dos trabalhadores da siderurgia. Foram apontadas estratégias para este subgrupo que são extremamente importantes para o futuro da indústria brasileira. Agora a nossa tarefa é colocar em prática estas propostas”, apontou.

De acordo com Ubirajara de Freitas, outro destaque do encontro foi a reorganização das redes sindicais da ArcelorMittal, Gerdau e Usiminas. "Fizemos um debate sobre a organização sindical nestas empresas e uma análise comparativa. A partir daí, realizamos um plano de ação para atuação em conjunto. As redes têm um importante papel na troca de experiências entre os trabalhadores", finalizou.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CNM/CUT
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × três =