Com assembleia na Gerdau, Sindicato dos Metalúrgicos de SL encerra Semana Nacional de Mobilização

No começo da manhã desta sexta-feira, 13, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Leopoldo e Região realizou uma assembleia na Gerdau, paralisando o começo das atividades no turno da manhã.  O ato encerrou a Semana Nacional de Mobilização dos Metalúrgicos da CUT em defesa da democracia e das reivindicações da categoria. Nesta sexta, as ações se concentraram nas plantas da Gerdau, em todo o país.

 

O presidente do Sindicato e metalúrgico da empresa, Valmir Lodi, destacou os problemas que os trabalhadores da Gerdau  estão enfrentando com a retirada de benefícios. “Eles estão cortando benefícios que temos há mais de 30 anos. Não podemos aceitar isso. Somos nós que produzimos a riqueza da empresa”, afirmou.

 

O dirigente também alertou para a pauta do governo Temer, que será marcada pelo ataque aos direitos trabalhistas. “São as empresas, os patrões como o Gerdau, que estão por trás desse golpe. O que eles mais querem é aprovar a terceirização para não ter mais trabalhadores vinculados à empresa, só prestadores de serviço”, alertou.

 

O presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo,enfatizou a  importância das empresas cumprirem as Convenções Coletivas de Trabalho e a necessidade de termos sindicatos fortes e atuantes para enfrentar os ataques que virão no futuro.

 

“O principal objetivo deste governo golpista é fazer as reformas, trabalhista e a da previdência, penalizando ainda mais a classe trabalhadora. Seguiremos firmes na luta contra o arrocho e contra a retirada de direitos”, disse.  

 

Já o secretário geral da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira, informou o cenário da metalurgia nacional, lembrando que várias plantas da Gerdau não pagaram o reajuste da CCT. “Aqui em Sapucaia estamos vivendo isso, com esse formato de empresa que apenas precariza e não valoriza seus trabalhadores. Eles tem responsabilidade sobre esse golpe implantado no país, pois querem a flexibilização da CLT, querem mexer nos nossos direitos”, enfatizou.

 

A atividade contou com o apoio de sindicatos de metalúrgicos de Canoas, Sapiranga, Novo Hamburgo, e dos bancários do Vale do Paranhana e Taquara.

 

No encerramento da assembleia, Valmir criticou a ação da polícia que estava pressionando os trabalhadores nos portões secundários da empresa e informou que a Rede Sindical Nacional da Gerdau irá encaminhar uma pauta única para todas as plantas do Brasil.

 

No dias 16, 17 e 18 de maio acontecerá em Montevideo (Uruguai), o Encontro do Comitê Mundial dos Trabalhadores na Gerdau e tem como objetivo trocar experiências e organizar as lutas para o próximo período.

 

Fonte: STIMMMESL 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + quatro =