CNM/CUT busca integrar os governos dos Estados e municípios nos projetos de reconversão industrial

Na última quinta-feira (14) o secretário-Geral da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira, se reuniu na empresa metalúrgica Reginato, em Campo Bom, no Rio Grande do Sul, com prefeito, Luciano Orsi  (PDT), e a secretária da saúde da cidade, Suzana Ambros Pereira, para tratar sobre a importância da reconversão industrial no Brasil.

A CNM/CUT se comprometeu a buscar contatos para liberação da Anvisa  da produção de respiradores, ,que a empresa se dispôs a construir, mas também ficou o compromisso de buscar ajuda com o poder público buscar ajuda em liberação na Anvisa e acompanhamento da Universidade Feevale.

“A empresa está propondo a construir respiradores, mas falta a liberação da Anvisa e isto não será fácil, porque precisamos lembrar que o presidente da entidade é indicado por Bolsonaro e precisará, além da questão técnica, vontade política para isso acontecer”, afirmou.

Loricardo conta que para isso será preciso muita mobilização, porque nem o projeto construído pela Universidade de São Paulo (USP) e mesmo da Universidade do Rio Grande do Norte e a Anvisa não libera.

“Temos que pressionar os governos, mobilizar a sociedade, o Congresso Nacional, os trabalhadores e o setor empresarial e defender a importância que tem, principalmente esse momento, de trabalhar a reconversão industrial. Pensando na sustentabilidade, no abastecimento, nos empregos de qualidade, mas também com a produção olhando para o social e para o conteúdo local.  Temos oportunidades para produzir no Brasil para o Brasil e isso é um papel que estamos construindo com a CNM”, afirma.

Discussões e importância

A Reconversão industrial está sendo discutida no macrossetor da Indústria da CUT, mas também é um tema de discussão dos metalúrgicos de todo país, onde a CNM tem base.

“Este é um ponto fundamental para preservação dos empregos, para discussão do aumento de segurança e proteção social do papel do Estado”, explica Loricardo.

A outra questão, segundo ele, é que a reconversão precisa estar vinculada com a questão da saúde, seja ela com respiradores, máscaras, álcool gel e da cadeia produtiva porque o país tem matéria-prima e é muito importante esse fomento.

“O olhar para o setor de alimentos também é uma discussão importante de se fazer neste momento, não só por causa da pandemia mas também de sustentabilidade desse setor e do abastecimento alimentar nas cidades,  integrando principalmente a agricultura familiar, que tem nas agroindústrias uma fonte de renda e de industrialização da sua produção agrícola”, destaca.

 

 

Fonte: CNM/CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + doze =