Após recorde de mortes no fim de semana, RS passa das 15 mil vítimas por covid-19

            Estado registrou 405 óbitos neste final de semana, leitos de UTI SUS têm 100% de ocupação

Neste sábado (13), o Rio Grande do Sul registrou um novo recorde de vítimas fatais em decorrência da covid-19, com 331 óbitos confirmados em apenas um dia. Somando com os de domingo, o estado teve 405 mortes. Foi o número mais alto registrado em um final de semana desde o início da pandemia.

Já nesta segunda-feira (15), foram registrado, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), 148 óbitos, elevando para 15.105 o número de vidas perdidas no território gaúcho em função da doença. A taxa de mortalidade está em 132,8 a cada 100 mil habitantes, com a letalidade em 2%.

O estado também registra 744.844 infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, com a confirmação de 2.618 novos casos pela SES. Dos infectados até o momento, 693.974 (93%) são considerados recuperados e 35.702 (5%) estão em acompanhamento.

De acordo com a SES, Porto Alegre foi a cidade com o maior número de vítimas fatais, sendo 9 óbitos. Seguida de Viamão (7); Osório (6); São Borja, Tramandaí e Imbé (5); Gravataí, Cachoeirinha, Cruz Alta, São Gabriel e Cruzeiro do Sul (4); Caxias do Sul, Canoas, Passo Fundo, Alvorada e Tupanciretã (3); Outras diversas cidades registraram, hoje, pelo menos um ou dois óbitos. Dos 497 municípios gaúchos, somente 33 não têm registro de vítimas fatais.

Capacidade de leitos de UTI no SUS atinge 100%

Enquanto na rede privada mantém a superlotação, com 134,2% de ocupação dos leitos de UTI em todo o Rio grande do Sul, a ocupação dos leitos do Sistema Único de Saúde atingiu sua capacidade máxima. Às 18h de hoje|, o índice alcançou a marca de 100,1% em todo o estado. São 2.266 leitos em operação para 2.269 pacientes internados.

A ocupação geral das UTIs em todo estado marcava 109,4%, sendo 3.438 pacientes em 3.142 leitos de UTI. Dos internados, 2.551 (73,5%) têm diagnóstico positivo para a doença e mais 142 (4,1%) estão sob suspeita.

Leitos covid-19 fora da UTI estão com taxa de ocupação de 83,3%. Já em relação aos respiradores em UTI adulto, está o índice de uso está em 83,6%. O governo do Estado começou, na tarde deste domingo (14), a distribuição dos 60 respiradores comprados com a finalidade de ampliar a rede de leitos de UTI SUS para atendimento de pacientes com covid-19.

Porto Alegre tem mais de 820 pacientes com covid em leitos de UTI

A capital gaúcha segue com superlotação das UTIs, registrando ocupação de 117,43%. Ao menos nove hospitais estão atendendo além da sua capacidade, cinco estão em lotação máxima, dois trabalhando acima de 90% e os demais acima de 80%. Dos 1.172 pacientes em cuidados intensivos na Capital, 823 têm covid-19 confirmada, o maior número de internados desde o início da pandemia. Além disso, 53 tem suspeita da doença e 231 positivados aguardam na emergência por leitos.

A superlotação fez com que os hospitais de Clínicas em Porto Alegre e Santa Casa de Porto Alegre fechassem a emergência covid-19 momentaneamente.

RS segue em bandeira preta

Pela terceira semana consecutiva, todo o Rio Grande do Sul está em bandeira preta – nível de risco máximo previsto no modelo de Distanciamento Controlado, conforme já havia sido antecipado pelo governador Eduardo Leite (PSDB).

Segundo o Executivo estadual, mesmo considerando o aumento de 3% no número total de leitos de UTI existentes e a redução dos internados por outras causas, a elevação dos confirmados com covid-19 em UTI fez com que se mantivesse quase a totalidade dos leitos de UTI do estado ocupados, inclusive fora dos leitos regulares, o que indica operação acima da capacidade indicada em algumas regiões.

Na 43ª rodada do Distanciamento Controlado, divulgada em 26 de fevereiro, o estado tinha 229 leitos livres para atender pacientes com a doença. Na semana passada (44ª rodada, dia 5 de março), esse número passou a ser negativo, com déficit de 25 leitos. Agora, apresenta falta de 213 leitos de UTI.

“Para se ter uma ideia, há 30 dias, tínhamos 800 pessoas em leitos de UTI confirmadas com covid. Passamos para 2,4 mil pessoas em 30 dias. Se esse ritmo continuasse, teríamos de triplicar o número de leitos, o que é inviável. Esse é o tamanho do nosso drama”, afirmou o governador.

Em entrevista à rádio gaúcha, na manha desta segunda, Eduardo Leite disse que o estado deverá entrar o mês de abril com bandeira preta. O Executivo ainda estuda a retomada da cogestão para a próxima semana.

Com mais de mil mortes, país registra 279.286 vítimas fatais

O Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) registrou, em boletim publicado hoje (15), 1.057 óbitos e 36.239 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 279.286 mortes e 11.519.609 contaminados pelo novo coronavírus.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 – Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o e-mail disquevigilancia@saude.rs.gov.br .

Fonte: Brasil de Fato-RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × um =