Em 2020 teve mais de 600 greves em todo país, aponta Dieese

Houve queda de 42% em relação às 1.118 greves realizadas em 2019

Segundo o Sistema de Acompanhamento de Greves do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), em 2020, foram realizadas 649 greves no país. Desse total, 417 ocorreram na esfera privada, 231 na pública e uma envolveu trabalhadores dos dois setores.

Houve queda de 42% em relação às 1.118 greves realizadas em 2019.89% das paralisações de 2020 incluíam questões de caráter defensivo na pauta. Reivindicações de pagamentos de salários, férias e 13º em atraso foram as mais frequentes.

Em relação à quantidade de horas paradas, que equivale à soma das horas de cada greve, também as mobilizações dos trabalhadores da esfera privada superaram aquelas da esfera pública, com uma diferença menor, no entanto: em termos proporcionais, 56% das horas paradas nas greves de 2020 corresponderam a paralisações na esfera privada e 44% corresponderam a paralisações na esfera pública, aponta o órgão.

Em 2020, 58% das greves encerraram-se no mesmo dia em que foram deflagradas
e 9% alongaram-se por mais de 10 dias.

Das 649 paralisações registradas, 114 continham informações sobre o número de grevistas envolvidos (o que corresponde a cerca de 18% do total). Dessas, 66% reuniram até 200 grevistas. Paralisações com mais de 2 mil trabalhadores constituíram pouco mais de 5% dos protestos realizados. Clique aqui e confira a pesquisa completa.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 3 =