Foi golpe: Ministro do STF confirma que Dilma não foi afastada por pedalada fiscal ou corrupção

Luis Roberto Barroso  afirma que Dilma Rousseff foi afastada
por questões políticas e que nenhum crime foi comprovado contra ela

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral e ministro do Supremo Tribunal Federal, Luis Roberto Barroso, reforçou que o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016, se deu por razões unicamente políticas. A declaração foi dada, nesta segunda-feira (6), durante o Simpósio Interdisciplinar sobre o Sistema Político Brasileiro, em que defendeu a adoção de um sistema ‘semi-presidencialista’ para o País a partir de 2026,

“Creio que não deve haver dúvida razoável de que ela não foi afastada por crimes de responsabilidade [pedalada fiscal]ou corrupção, mas sim foi afastada por perda de sustentação política. Até porque afastá-la por corrupção depois do que se seguiu seria uma ironia da história“, afirmou Barroso.

Segundo o ministro do STF, no sistema ‘semi-presidencialista’ o presidente conduziria as relações internacionais, nomearia os embaixadores, seria o comandante-em-chefe das Forças Armadas, indicaria os ministros de tribunais superiores e apontaria o primeiro-ministro.

“Porém, este primeiro-ministro depende de aprovação pelo Congresso Nacional. E será o primeiro-ministro quem desempenhará o papel de chefe de governo e conduzirá o varejo político da vida de um país”, explicou.

Fonte: Carta Capital

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − dezessete =