Juventude metalúrgica participa de oficina do Teatro do Oprimido

O Sindicato dos Trabalhadores dos Metalúrgicos de São Leopoldo e Região (STIMMMESL) em parceria com a Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) promoveu a oficina híbrida “Teatro do Oprimido e os Desafios da Juventude Trabalhadora”, durante esta sexta-feira (29). A atividade reuniu dezenas de pessoas e integrou a programação do Fórum Social Mundial Justiça e Democracia. Além disso, a oficina aconteceu na parte da manhã, na sede do STIMMMESL e à tarde, de maneira virtual, através do zoom.

 

 

De acordo com o tesoureiro do STIMMMESL, Genilso Vargas da Rosa, a atividade de hoje foi muito importante, pois ela era voltada a trazer a juventude trabalhadora para Sindicato “Foi uma atividade que utilizou o teatro para realizar um debate político e sobre o trabalho de uma forma diferente”, avaliou.

Diretor do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Porto Alegre, Fred Appratto esteve presente na atividade e classificou a oficina como “sensacional”. “Para a juventude participar e fazer essa reflexão da nossa realidade, dos efeitos da política que nos atingem, da importância dos trabalhadores estarem sempre juntos e unidos em prol da nossa defesa”, disse ele.

 

 

Já o educador social, gestor cultural e ativista, João Marcelo Lucas Schneider ministrou a oficina e ressaltou a importância de trazer o teatro para o Sindicato. “É arte como ferramenta de debate político para os trabalhadores à juventude”, afirmou. O jovem também destacou que é fundamental usar esse espaço para construir engajamento e pensamento político.

 

 

“É muito importante que os sindicatos comecem a fazer atividades que dialogam diretamente com a juventude trabalhadora, principalmente na forma de comunicação com esses jovens”, afirmou o secretário de Juventude da CNM/CUT, Nicolas Sousa Mendes.

O jovem de 26 anos é metalúrgico do estado do Espirito Santo (Sindimetal-ES) e reforçou a importância da atividade. “E hoje, aproveitando o Fórum Social Mundial nós trouxemos uma oficina com esse propósito, discutir política, temas relacionados ao mundo do trabalho e a opressão à juventude, mas sempre de forma lúdica e descontraída conduzidas pelo nosso parceiro João Marcelo, que é um dos coringas do teatro do oprimido”, declarou o dirigente.

 

 

Fonte: STIMMMESL

Fotos: Israel Bento Gonçalves

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × dois =