CNM/CUT e IndustriALL Brasil debatem com Abimaq sobre setor de Bens de Capitais

Representantes da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) e da IndustriALL Brasil se encontraram na última sexta-feira (22), na sede da Abimaq, em São Paulo.

O debate foi em torno de propostas para o segmento de bens de capital a partir do Plano Indústria 10+, um conjunto de diretrizes proposto pelo movimento sindical para orientar o governo nacional sobre a elaboração de políticas, programas e ações relativos ao desenvolvimento produtivo e tecnológico brasileiro como proposta de política industrial para os próximos 10 ano.

“A CNM/CUT tem buscado se reunir com os representantes patronais nacionais, para analisar a situação da indústria, do setor de bens de capital e relações de trabalho.  Além disso, a ideia é construir uma agenda de diálogos para trabalhar a questão econômica e do trabalho que vise proporcionar desenvolvimento para o país e regras de trabalho a este setor de bens e capital, assim como de outros segmentos do ramo metalúrgico”, explicou o presidente interino da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira.

A ABIMAQ divulgou recentemente um documento, que diz que é preciso investir em pesquisa, desenvolvimento e combater a desigualdade no Brasil e foi isso que contribuiu muito para o encontro entre sindicalistas e a associação de empresários.

A conversa é fruto da reunião com representantes do segmento de Bens de Capital da CNM/CUT no mês passado, na qual elaborar a pauta para apresentar ao sindicato patronal do setor e discutir estratégias para mobilizar os/as trabalhadores/as que compõem o segmento eram alguns dos objetivos.

“Ficamos de esperar um tempo para que a Abimaq nos dê retorno e possamos unir os pontos convergentes e o trabalho de forma conjunta – indústria, trabalho e relações sindicais e de indústria – e ficou este compromisso de voltar a conversar numa reunião ampliada com mais setor. CNM/CUT e IndustriALL Brasil estão juntas nisso e permanecerão”, disse Loricardo.

Sobre o Plano Indústria 10+

Plano Indústria 10+, “Desenvolvimento produtivo e tecnológico”, é uma proposta do Macrossetor da Indústria da CUT e tem, dentre outros propósitos, o objetivo de garantir para o setor um processo consistente de inovação e modernização tecnológica, uma Política industrial alinhada com a preservação do meio ambiente, o readensamento das cadeias produtivas de valor ,um política externa soberana e que promova a indústria nacional,  a promoção do desenvolvimento regional e Empregos de qualidade.

A redução de emissão de poluentes e tratamentos de resíduos, a participação dos salários na distribuição funcional da renda, a redução dos acidentes e doenças no trabalho serão temas monitorados periodicamente.

O presidente do Instituto Trabalho, Indústria e Desenvolvimento, o TID-Brasil, Rafael Marques, explicou que o Plano Indústria 10+ foi elaborado a partir das perspectivas dos trabalhadores e trabalhadoras, considerando essa conjuntura política, social e econômica extremamente desafiadora.

“O plano que elaboramos não é um plano tipicamente industrial, discutindo setorialmente cada uma das áreas, mas um plano que atenda as demandas sociais da população, como saúde, saneamento básico, mobilidade urbana, energia, habitação, infraestrutura, etc”, disse Rafael que complementou:

“A vasta diversidade do segmento bens de capital dialoga muito bem com o objetivo desse plano. Historicamente se constrói uma política setorial e os empresários captam esses recursos para o seu setor. Os recursos, o esforço econômico do governo precisa atender as demandas sociais da população e isso vai arrastar o setor de máquinas do Brasil”.

 

Fonte: CNM/CUT

Foto: DIVULGAÇÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + catorze =