Metalúrgicas do STIMMMESL participam de Encontro Estadual de Mulheres

Cerca de 20 metalúrgicas da base do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de São Leopoldo e Região (STIMMMESL) participaram, no último final de semana, do segundo Encontro Estadual de Mulheres Metalúrgicas da Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos do Rio Grande do Sul (FTM-RS), na Colônia de Férias do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Porto Alegre (STIMEPA), em Cidreira.

 

 

A atividade reuniu cerca de 70 mulheres representando mais de sete entidades sindicais e foi realizada para fortalecer a atuação das diretoras dos sindicatos, reforçando o debate e conscientização sobre o capitalismo e machismo presentes em todos os aspectos da vida das metalúrgicas. A atividade foi conduzida pela vice-presidenta da FTM-RS, Eliane Morfan, juntamente com as diretoras do STIMEPA, Taise Almeida e Joyce Gomes, com a assessoria da militante do Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos (MTD) e educadora popular, Lurdes Santin.

A secretária de Prevenção e Saúde do Trabalhador do STIMMMESL, Simone Ribeiro Peixoto acredita que o sucesso desse encontro é fruto da semente plantada na primeira edição. “Muitas trabalhadoras de chão de fábrica e isso é uma baita conquista, era um grupo muito acolhedor e com bastante diversidade. Os relatos das trabalhadoras são fantásticos e sem dúvida, foi um encontro transformador”, contou.

A diretora do Sindicato, Erenita Fernandes dos Anjos, afirmou que o encontro foi um espaço de troca e conhecimentos que fortalece, cada vez mais, as mulheres. Ela contou sobre o trabalho que faz dentro da empresa: “fiz um convite para minhas colegas explicando o que seria este encontro e para minha surpresa tivemos 16 mulheres que me acompanharam neste encontro. Uma foi levando a outra, então não foi trabalho só meu, tive o apoio das colegas. Me sinto muito agradecida porque todas gostaram e já estão perguntando quando será o próximo”, relatou.

 

 

A metalúrgica aposentada, Sirlei de Moura Vieira afirmou que foi um encontro maravilho, onde diversos temas abrangentes a todas as mulheres foram tratados. “Assuntos importantes para as mulheres lidarem com o dia a dia no chão de fábrica, trazidos por mulheres que deram todo o apoio as participantes. Foi muito bom e espero que seja o segundo de muitos encontros”, disse.

Apoio Jurídico

No domingo, a advogada trabalhista especialista em direito coletivo e sindical, Juliane Durão, falou sobre a definição jurídica de assédio, que são condutas abusivas por meio de palavras ou ações, como toque físico, propostas inadequadas, controle de tempo para ir ao banheiro, fazer piadas recorrentes e humilhações.

Juliane também trouxe casos mais subjetivos de assédio, como imposição da cobrança de metas irreais, sobrecarga de trabalho ou até mesmo a redução repentina de atividades da mulher para prejudica-la na empresa.

 

 

As trabalhadoras também puderam compartilhar suas experiências pessoais com o machismo nos locais de trabalho e tiraram dúvidas sobre legislação com a advogada.

Campanha Salarial Unificada – os desafios para a Campanha Salarial Unificada deste ano também foi assunto do encontro. A vice-presidente da Federação explicou como funcionam as mesas de negociação e reforçou a importância da organização e participação de todas as metalúrgicas.

Simbologia da Pitangueira

Durante o encontro as metalúrgicas também plantaram juntas uma pitangueira como ato simbólico representando o feminino. Segundo Lurdes a planta foi escolhida pela relação com as próprias pautas da atividade, que trataram sobre o cuidado que a categoria precisa ter com as mulheres “Além da simbologia ligada à cura física e emocional através de seu chá, a pitangueira também representa a relação de cuidado e empatia entre as mulheres”, afirmou a educadora.

 

 

Fonte: STIMMMESL com informações do STIMEPA

Fotos: Jean Lazarotto (STIMEPA) e dicvulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − seis =