Governo pretende investir R$ 20 bi em ferrovias e trabalhadores querem protagonismo

No último dia 12 de abril, o Ministro dos Transportes, Renan Filho, confirmou à imprensa que o governo Lula pretende lançar, ainda no primeiro semestre deste ano, um Plano Nacional de Ferrovias, com previsão de investir mais de R$ 20 bilhões neste segmento. Os recursos teriam origem em renegociações de contratos antigos de concessões feitas pelo governo.

Os trabalhadores estão de olho na movimentação do governo federal para retomada dos investimentos no setor ferroviário do país. Um dia antes da confirmação dos planos do governo pelo ministro Renan Filho, a CNM/CUT reuniu-se com a diretora do Departamento de Desenvolvimento da Indústria de Alta-Média Complexidade Tecnológica do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Margarete Maria Gandini, para conhecer de perto os detalhes das ideias do governo para a ampliação da malha ferroviária brasileira.

“Pelo que nos foi passado, a ampliação da infraestrutura ferroviária envolverá elementos de sustentabilidade, como o conceito de ‘ferrovia verde’ que inclui a descarbonização e renovação de frota de trens”, afirmou o presidente da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira.

Ainda segundo o dirigente, o governo anunciou que pretende organizar grupos tripartites de trabalho (governo, patrões e trabalhadores)  para que participem da construção deste programa de forma democrática. “A previsão é de que os grupos seriam formados no segundo semestre”, disse Loricardo.

O presidente da CNM/CUT lembrou que a discussão sobre o setor ferroviário deve incluir também o segmento da siderurgia, já que ele é essencial, por exemplo, na fabricação dos trilhos dos trens. “Precisamos também nos aprofundarmos no debate sobre a cadeia produtiva do setor e na produção de conteúdo local, pois existem mais de mil itens catalogados no setor e queremos que eles sejam feitos aqui ao invés de importados de fora”.

Com as informações do Ministério da Indústria e Comércio em mãos, os dirigentes da CNM/CUT reuniram-se em 12 de abril com sindicalistas dos setor ferroviário da CUT, dos segmentos de siderurgia e bens de capital da CNM/CUT e com representantes da IndustriALL Brasil para planejar os próximos passos em direção a aumentar a participação dos trabalhadores nas discussões sobre a cadeia produtiva ferroviária nacional.

Deste novo encontro, saiu o compromisso para organização de um seminário para ampliar a compreensão sobre o tema dentro do movimento sindical, a fim de ter mais elementos para contribuir junto ao governo federal e patrões dentro dos grupos tripartites de trabalho, sempre em defesa da pauta da classe trabalhadora, lutando por desenvolvimento do segmento ferroviário com criação de mais emprego, renda e em defesa do trabalho decente.

 

Fonte: CNM/CUT

Foto: Pixabay

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + dezoito =