Sistema Único de Saúde completa 27 anos

Neste ano, o Sistema Único de Saúde (SUS) está completando 27 anos. São quase três décadas de garantia a um dos direitos fundamentais ao cidadão: a saúde. É verdade que o sistema enfrenta dificuldades desde que foi criado, mas sua evolução no período é muito significativa. Na última semana, o Ministro da Saúde, Marcelo Castro, escreveu para a Folha de S. Paulo sobre os avanços dos SUS e os desafios para o futuro do Sistema.

 

Ao longo do seu período de existência, o número de atendidos pela saúde pública no Brasil saltou de 50 milhões para 200 milhões de pessoas. “O SUS tornou-se a maior política de justiça social do país, sem nunca retroceder. Todos os governantes respeitaram a Constituição e contaram com dirigentes que promoveram consideráveis avanços no sistema”, ressaltou o ministro.

 

Atualmente, União, Estados e municípios investem cerca de R$ 214 bilhões anuais em saúde pública. Esses números ainda são insuficientes, dado os altos custos em razão do avanço tecnológico da medicina, mas o ministro destacou que, apesar das dificuldades, a saúde está presente no SAMU, nas UPAs, hospitais, centros de atenção e controle de câncer, unidades básicas, laboratórios, vacinação, nas ações dos 300 mil agentes de saúde e endemias e em muitos outros espaços e formas.

 

Para que o SUS avance ainda mais, o ministro defendeu alguns pontos a serem considerados, como o financiamento adequado, atenção básica de qualidade em todos os municípios do país, gestão regionalizada e eficiente. O aperfeiçoamento da rede pública também esbarra na necessidade de formação de profissionais de saúde para o modelo SUS e no debate sobre a judicialização. “Houve crescimento dos gastos do Ministério com ações judiciais para atender pedidos por cirurgia, equipamentos e medicamentos. Os valores saltaram 500% nos últimos quatro anos.”, afirmou o Ministro.

 

O ministro reiterou o seu compromisso em atuar com maior destaque nos pontos citados acima e em dar continuidade a tudo o que vem sendo desenvolvido nesses 27 anos de SUS. “Precisamos subir, junto com a sociedade, os degraus da consolidação do SUS para a garantia de um país mais justo. A saúde nos pertence e dela não vamos nos separar”, finalizou.

 

Fonte: Folha de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − sete =