CUT e demais centrais preparam Fórum Nacional em defesa da saúde do trabalhador

A defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) e da saúde do trabalhador e da trabalhadora como direito humano fundamental, com o lema “Trabalhar sim, sofrer não, morrer jamais”, serão debatidas durante encontro de dirigentes da CUT, demais centrais e parlamentares, nesta quarta-feira (13), a partir das 18 horas, em reunião on-line por meio da plataforma Zoom. (veja abaixo como participar).

A proposta do Fórum Nacional das Centrais Sindicas em Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora é preparar um documento a ser entregue na Conferência Livre Democrática e Popular de Saúde 2022, em 5 de Agosto, Dia Nacional de Saúde.

O presidente da CUT, Sérgio Nobre ressalta a importância do Fórum para segundo ele, construir um conjunto de propostas a serem apresentadas na conferência nacional.

“Vamos destacar a importância do SUS, da valorização dos trabalhadores e trabalhadores na saúde, da urgência de um complexo industrial de saúde no Brasil, da ampliação da cobertura da vacina contra a Covid-18 e  um amplo plano nacional de saneamento básico”, reforçou.

Nobre ainda destacou a importância da luta e ação de todo o movimento sindical em defesa da saúde do nosso povo, que sempre foi uma prioridade para CUT, desde a sua fundação.

“A nossa central sindical tem tradição em construir propostas para essa área tão importante para o nosso país. Por isso é muito grande a expectativa pela nossa participação nessa etapa da conferência nacional”, diz Sergio Nobre.

A secretária da Saúde do Trabalhador da CUT Nacional, Madalena Margarida da Silva, entende que os eventos são uma oportunidade de se discutir o que o trabalhador quer para a política do SUS.

“O Fórum e a Conferência são formas de resistência das centrais e também exercícios de participação social, de fortalecimento da democracia em defesa do SUS. O movimento sindical tem feito o seu papel, o seu trabalho e a defesa dos trabalhadores da saúde , mas também a defesa de uma política pública para o setor. Portanto, esses eventos são de fundamental importância para centrais sindicais e para o sindicalismo no Brasil”, diz a dirigente.

Pandemia reforçou importância do SUS

O presidente da CUT destacou que o Brasil jamais esquecerá a pandemia que matou quase 700 mil brasileiras e brasileiros em apenas dois anos, e que também nunca esquecerá o atual governo que negou a Covid-19 e boicotou a vacina, se tornando o principal responsável por essas mortes.

“Esse país jamais esquecerá o significado do SUS. Infelizmente, precisou de uma pandemia para os brasileiros reconhecerem e respeitarem o Sistema Único de Saúde”, afirma

Sérgio Nobre destacou ainda o objetivo das Conferência Nacional de Saúde, que é mobilizar toda a população para a importância do Brasil ter saúde gratuita e universal, principalmente nesse ano tão decisivo para o país que tem um serviço público atacado e precarizado pelo governo de Jair Bolsonaro (PL).

“A Conferência unirá os movimentos que lutam pelo direito da saúde em todo o Brasil. Vamos debater e elaborar propostas essenciais à melhoria da saúde pública no nosso país”, finalizou Sergio Nobre.

A secretária de Saúde do Trabalhador entende também que a pandemia fortaleceu o papel do SUS e que o fórum é uma valorização da saúde pública e de seus profissionais.

“Temos um grande patrimônio que são os nossos pesquisadores e a pesquisa como um todo no Brasil, como os movimentos sanitarista e solidários em defesa da saúde pública e do SUS, que tiveram grande papel durante a pandemia”, finalizou Madalena.

Como participar

A Conferência organizada pelas centrais acontecerá de forma virtual pela plataforma Zoom, cujo link será enviado para todos os(as) inscritos(as) e por isso, se faz necessário o preenchimento correto do formulário de inscrição.

Para participar da conferência é preciso realizar a inscrição pelo link  https://forms.gle/582rMD5veQWmHgj58

Participantes

O Fórum Nacional das Centrais Sindicas em Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora é composto por representantes da CUT, Intersindical, CSB, UGT, Força Sindical, CTB, Nova Central, CSB; e com participação do Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e Ambiente de Trabalho (Diesat) e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Estarão presentes os deputados Orlando Silva (PC do B- SP), pela Comissão de Direitos Humanos e Minoria; Bohn Gass (PT-RS), pela  Comissão do Trabalho, Administração e Serviço Público; o senador Paulo Paim (PT-RS) pela Comissão de Assuntos Sociais, e Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde.

 

Fonte: CUT Nacional

Foto: REPRODUÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 6 =

Whatsapp