Metalúrgicos e Ford retomam negociação. Sindicato vai procurar direção mundial

Fábrica de Taubaté também retomará a produção a partir da semana que vem.
Acordo preserva empregos enquanto durarem as negociações

Os trabalhadores e trabalhadoras na Ford votam nesta quinta-feira (18) um acordo que garante uma negociação com a direção mundial da Ford, com o objetivo de tentar reverter a saída da montadora do país. A proposta será analisada em assembleia, às 8h, na fábrica de Taubaté.

É primeira vez que a Ford aceita colocar diretores globais da empresa em reunião com representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau). A mesa de negociação é um dos pontos do acordo firmado em audiência de conciliação do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), realizada nesta quarta-feira (17). [mais sobre a audiência abaixo]

O acordo estabelece que a reunião com a direção mundial da Ford seja realizada até o dia 25 deste mês. “A empresa se compromete a viabilizar encontro dos dirigentes sindicais com executivos de alto nível, com poderes de decisão de reverter o encerramento das atividades”, aponta a ata da audiência, presidida pelo desembargador do TRT Francisco Alberto Giordani.

Ainda segundo o acordo, a empresa deve assegurar salários e benefícios aos empregados durante todo processo de negociação, sejam eles convocados ou não ao trabalho. Esses, e outros pontos da proposta, serão apresentados pelo Sindicato para votação dos trabalhadores em assembleia na fábrica nesta quinta-feira, às 8h.

Confira o vídeo do presidente do Sindicato, Claudio Batista, com mais informações sobre a audiência realizada no TRT: https://youtu.be/S3NNDH7f8Cs

Audiência no TRT e volta ao trabalho
A audiência no TRT, que aconteceu nesta quarta, marca um avanço nas negociações com Ford, após os trabalhadores realizarem uma nova mobilização na fábrica. Durante a manhã, eles aprovaram que todos se apresentariam ao trabalho na parte da tarde, em resposta a uma convocação parcial dos trabalhadores feita pela montadora na semana passada.

Os trabalhadores chegaram por volta das 13h e assumiram suas posições na fábrica, se colocando de prontidão para produção. Ao mesmo tempo, representantes do Sindicato lutavam em outra frente, na audiência de conciliação do TRT que resultou no acordo.

Processos
O acordo que será votado pelos trabalhadores em assembleia nesta quinta-feira (18) é relativo ao processo de dissídio coletivo protocolado pela Ford. O Sindicato contestou essa ação por entender que a paralisação das atividades na fábrica foi feita pela própria montadora.

Já a suspensão das demissões na Ford é resultado de um outro processo. A liminar, obtida em uma ação civil pública proposta pelo Ministério Público do Trabalho, continua vigente.

 

Fonte: CNM/CUT com  informações do Sindmetau

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 4 =