Novo mínimo tem o maior valor desde 1983

Os 8,84% foram calculados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2014 e correspondem a variação do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 – de 2,5% – e a variação anual de 6,23% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Estima-se que 46,7 milhões de pessoas tenham seus rendimentos baseados no salário mínimo e que este aumento injetará R$ 38,4 bilhões na economia. A quantia certamente vai ajudar o país a atravessar os ajustes sobre o consumo das famílias e a elevação da arrecadação de impostos, que deve ser aumentada em R$ 20,7 bilhões.

Como a cesta básica de janeiro está estimada em R$ 355, o novo mínimo terá um poder de compra equivalente a 2,22 cestas básicas. Esta é a maior relação registrada entre as médias do salário mínimo e da cesta básica anual, desde 1979 e o novo mínimo tem o maior valor desde 1983.

Com as dificuldades que a economia atravessa, a decisão da presidenta Dilma em manter o compromisso pela manutenção da política de valorização do mínimo deve ser elogiada, pois terá impactos positivos na economia e na política.

Fonte: Subseção do Dieese do Sindicato dos Metalúrgicos dos ABC
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + seis =