“A CIPA é muito importante para os trabalhadores”, afirma o diretor do STIMMMESL e cipeiro, Ari Severo

O secretário de Gênero, Juventude e Raça Ari do Sindicato dos Metalúrgicos de São Leopoldo e Região (STIMMMESL), Ari Antônio Dias Severo, está também no seu terceiro mandato como membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) na Taurus, empresa que trabalha há 12 anos. “A experiência da CIPA é muito boa, tu poder ajudar os trabalhadores na prevenção dos acidentes é uma grande oportunidade”, acredita ele.

Com 40 anos, Ari ficou meses afastado do trabalho por ser grupo de risco à covid-19, realidade compartilhada por milhares de trabalhadores no último ano. Em seu primeiro mandato como dirigente sindical, Ari afirma que “o Sindicato é a única ferramenta que os trabalhadores tem”.

 

Confira a íntegra da entrevista:

 

Conte um pouco da sua história? Como entrou no movimento sindical?

Eu entrei no movimento sindical pelo companheiro já falecido, Jorge, ex-presidente do Sindicato. E primeiro entrei pela Federação. Esse é meu primeiro mandato como dirigente da entidade mesmo.

 

 

Além de diretor sindical, você também é membro da CIPA. Como está sendo a experiência?

A experiência da CIPA é muito boa, tu poder ajudar os trabalhadores na prevenção dos acidentes é uma grande oportunidade. Poder atuar para garantir que os trabalhadores, assim como chegam na empresa, saiam ao ir para as suas casas, com segurança. É muito importante atuar pela segurança no trabalho, ver um problema e tentar resolver para que as pessoas tenham mais segurança e condições para exercer suas funções.

 

Fale um pouco sobre a importância da CIPA para os trabalhadores?

A importância da Comissão é muito grande, pois os trabalhadores te elegem para tu seres o representante deles. Qualquer problema que acontece, por exemplo, numa máquina ou falta de EPIS (Equipamentos de Proteção Individual), tu tens que buscar resolver. Por isso, a CIPA é muito importante para os trabalhadores.

 

Na tua opinião, como os cipeiros podem auxiliar o trabalho sindical e vice-versa?

O Sindicato dá todo respaldo para os cipeiros e trabalhando unidos temos mais força de resolver as questões que estão pendentes sobre segurança no trabalho. É muito importante o Sindicato estar interligado com a CIPA.

 

 

Qual a tua avaliação dos ataques que a classe trabalhadora tem sofrido desde o golpe de 2016. Como as reformas trabalhistas e da previdência?

Esse golpe foi muito ruim para a classe trabalhadora porque com essas reformas que foram feitas, hoje em dia, os trabalhadores tem que, por exemplo, se submeter a tirar férias três vezes. Não é mais quando o trabalhador quer, quando consegue se programar com a sua família, agora é quando a empresa quer. Esse golpe foi muito ruim e a gente está vendo agora com esse desgoverno que está no Brasil, o aumento de tudo, gasolina, carne, tu vais no mercado e é tudo caro. Esperamos que agora em 2022, a classe trabalhadora esteja unida para reverter esse processo.

 

O movimento sindical, como um todo, está muito desacreditado. Como reverter isso?

Temos que fazer uma conscientização na classe trabalhadora que não é só a estrutura que o Sindicato tem para oferecer. A entidade sindical dentro das empresas tem uma importância muito grande. Sem os sindicatos, as empresas fariam o que quisessem, colocariam as normas que quisessem. As empresas respeitam um pouco os trabalhadores porque tem o Sindicato. A mesmo coisa é em relação a Convenção Coletiva, tem muita gente que pensa as empresas são obrigadas a conceder o aumento do dissídio e não são, só acontece porque o Sindicato negocia todo ano e além do reajuste, as cláusulas sociais também são muito importantes porque tem muita coisa ali que não é lei e se não estivesse na Convenção, os trabalhadores não teriam direitos. A gente tem que fazer esse trabalho para conscientizar que o Sindicato é importante, sem o Sindicato seria muito pior para os trabalhadores.

 

Não só aqui, mas em diversas entidades, é alto o número de oposição. Não tua opinião, falta consciência de classe para os trabalhadores?

Falta consciência de classe e como disse, os trabalhadores acham que o aumento vem do céu e o aumento não vem do céu, se não tiver o Sindicato para negociar, não teria aumento o ano todo. Então eles tem que aprender a valorizar a entidade que luta por eles. O Sindicato é a única ferramenta que os trabalhadores tem, por exemplo quando uma pessoa q não é sócia é demitida, é no Sindicato que ela vem. Eles tem que pensar que o Sindicato é importante antes de acontecer alguma coisa com eles e o nós, dirigentes sindicais, também temos que fazer um trabalho mais árduo dentro das empresas para tentar reverter essa situação.

 

Na tua opinião, qual o principal desafio do movimento sindical no próximo período?

Será um desafio muito árduo se continuar esse desgoverno que está aí. Por isso que a nossa esperança é que em 2022 seja revertido esse quadro da política para nos ter mais poder e ser mais forte.  Desse jeito que está, o Sindicato perdeu muita força, eles estão tentando arrochar os sindicatos com as reformas sindicais que querem fazer e, para um sindicato ser forte vai ter que fazer um trabalho mais árduo dentro das empresas.

 

E da indústria? Como gerar empregos?

A indústria para gerar emprego tem que se colocar no mercado, dependendo do tipo de produto que vendo. Por exemplo, a Taurus onde trabalho está gerando bastante emprego, pois a demanda de arma para o exterior é muito grande e cada vez gera mais empregos, se olhar no site verá que tem bastante vaga em aberto e as outras empresas tem que ver o tipo de produto que fazem. Mas a tendência, se mudar o governo é melhorar o emprego.

 

 

Como atrair mais sócios para o sindicato?

Para atrair mais sócios, o Sindicato tem que ter dirigentes combativos dentro das empresas, que façam um trabalho árduo em prol dos trabalhadores e continuar nossas campanhas de sindicalização. Tentar passar para os trabalhadores no dia a dia, que o Sindicato não é só estrutura que tem, a entidade sindical tem algo a mais para oferecer, o Sindicato negocia com a empresa, faz vários tipos de acordo, tem dirigente que negocia Participação no Lucros e Resultados (PLR), tem dirigente que negocia o dia a dia da empresa. Isso é uma forma de passar para os trabalhadores serem sócios e acreditar mais no Sindicato.

 

Gostaria de acrescentar alguma coisa?

Gostaria de dizer que os trabalhadores tem que acreditar mais no Sindicato. O Sindicato é a única ferramenta que eles tem para recorrer contra os abusos dos patrões. Por isso, eles precisam ter em mente que o Sindicato é muito importante, só uma entidade sindical pode defender os trabalhadores. E os dirigentes sindicais estão prontos para defender a classe trabalhadora.

 

Fonte: STIMMMESL

Imagens: Israel Bento Gonçalves

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =