Formação: conferência debateu desafios dos trabalhadores na formação sindical

A primeira semana de conferências temáticas virtuais do 11º Congresso da CNM/CUT “Reconstruir o Brasil de forma sustentável e humanizada com trabalho decente, soberania, renda e direitos” se encerrou na sexta-feira (5) com a conferência sobre Formação. Ainda vai ter mais duas conferências presenciais, internacional e de política industrial.

O encontro virtual na plataforma Zoom foi coordenado pelo secretário de formação da CNM/CUT, Renato Carlos de Almeida (Renatinho). O dirigente agradeceu o apoio da diretoria da confederação durante seu mandato à frente da secretaria. Renatinho deve deixar o comando da Secretaria de Formação ao final do mandato.

Para palestrar, foram convidados a Secretária Nacional de Formação da CUT, Rosane Bertotti; o Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP) e Professor Associado da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Roberto Veras; e a Coordenadora Pedagógica da ENFOC (Escola Nacional de Formação da Contag – Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura), Raimunda de Oliveira Silva.

Rosane Bertotti falou sobre a formação da CUT e os desafios futuros, frisando que esses desafios são os mesmos de todo movimento sindical. Para ela, é importante saber como fazer parte do debate da participação social no novo governo Lula e identificar como a formação pode contribuir na batalha contra o fascismo e em defesa da democracia.

Outro ponto destacado pela dirigente cutista foi a formação profissional da classe trabalhadora, e a disputa pela entrada no conselho do Sistema S. Por fim, ela reforçou que é preciso refletir qual movimento sindical estamos construindo, que é preciso ter uma rede nacional de formação forte e que a área precisa olhar além do academicismo e também saber lidar com a questão da mística e do encantamento ao formar.

Roberto Veras expôs a apresentação “O sindicalismo diante dos desafios que se apresentam para a reconstrução do país”. Ele abordou um contexto histórico do sindicalismo brasileiro, mostrando que velhos desafios ainda persistem nos dias de hoje, Além disso, o professor falou sobre quais processos sociais que desafiam o sindicalismo no Brasil, em que aspectos os velhos e novos desafios afetam a atuação sindical, e indicou uma série de pontos para uma nova agenda sindical.

Raimunda, mais conhecida como Mundinha, trouxe sua experiência na formação na Contag e discutiu o sentido dos processo de formação, cruzando-os com três pontos: o ser humano, o lugar que o ser humano ocupa nas entidades sindicais, e a relação das entidades sindicais com a sua base de trabalhadores, sempre visando a formação enquanto um contínuo processo educativo.

O secretário-geral da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira, parabenizou a equipe de assessoria que construiu as conferências temáticas e destacou a qualidade dos debates e o cruzamento das informações entre as conferências.

As indicações produzidas em cada conferência temática serão levadas para debate e deliberação durante o 11º Congresso da CNM/CUT, que começa oficialmente nesta terça-feira, em Guarulhos..

 

Fonte: CNM/CUT

Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 5 =